“Serestas ao Luar”

Imagem

Nesta sexta-feira (27), a partir das 20h, o Centro Histórico de Natal irá rememorar as serenatas românticas junto com os cantores Lísia Condé e Liz Nôga, convidados da 3º edição do projeto “Serestas ao Luar” e participação especial de TITA cantando as músicas de seu parceiro José Luiz. A concentração será na calçada do IFRN Cidade Alta e toda a população, inclusive os turistas, está convidada a participar de mais uma reunião de gerações.

O projeto é beneficiado pelo Fundo de Incentivo a Cultura de Natal e tem como objetivo resgatar as músicas românticas, através das serenatas e oferecer uma opção cultural diferenciada em Natal. Segundo a organizadora do evento, Mary Bezerril, o evento tem conquistado um público cada vez maior. “Na última edição, mais de 300 pessoas participaram. Famílias, casais, crianças, pessoas dos 8 aos 88 anos estiveram com a gente durante todo o percurso”, disse Mary.

 Nesta edição, os homenageados serão o músico potiguar José Luiz e os poetas Chico Traira, Manoel Moraes e Chagas Ramalho que serão lembrados pelos membros da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins – SPVA.

SERVIÇO
Evento: “Serestas ao Luar”
Dia: 27/06
Horário: 20h
Local: saída do Calçadão do IFRN Cidade Alta, Natal, RN
Fonte: assessoria de imprensa da Seturde

Anúncios

TripAdvisor lança dez aplicativos de cidades-sede da Copa

Imagem

O site de turismo TripAdvisor lançou nesta quinta-feira dez novos guias de cidades-sede da Copa do Mundo 2014: Salvador, Belo Horizonte, Fortaleza, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Cuiabá, Natal e Manaus. Os aplicativos serão gratuitos para iPhone e Android, e completam o portfólio de guias de cidades que fazem parte do Mundial, que já conta com São Paulo e Rio de Janeiro.

Os apps oferecem informações em inglês sobre os destinos, incluindo avaliações a respeito de hotéis, restaurantes e atrações, além de dicas que podem ser acessadas sem conexão com a internet. Os guias são sincronizados automaticamente com o conteúdo do TripAdvisor para oferecer as últimas avaliações dos usuários.

Atualmente, os guias móveis de cidade do TripAdvisor estão disponíveis sobre 92 destinos. Segundo a empresa, mais de cem milhões de pessoas já baixaram seus aplicativos nas plataformas Android e iOS.

#ViverNatal: Prefeitura do Natal lança site e aplicativo para a FIFA Fan Fest

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura do Natal lançou nesta terça-feira (10) o site e o aplicativo oficial da FIFA Fan Fest, com as atrações do evento, a programação e as orientações sobre como chegar na arena montada na Praia do Forte. Além do site, foi elaborado um app para smartphones, disponível na Google Play. 
 
Imagem
O espaço vai contar com uma cobertura exclusiva feita pelos profissionais da própria Prefeitura do Natal o que inclui textos, fotos e vídeos. O material elaborado será integrado, também, nas redes sociais dedicadas a cobrir o evento: o @ViverNatal, @Natalhostcity e o perfil oficial da Prefeitura no Facebook, Twitter e no Instagram. “Durante todo o evento teremos cobertura em tempo real disponibilizando conteúdo também para os jornalistas nacionais e estrangeiros credenciados”, diz o secretário Heverton de Freitas.
 
O site foi desenvolvido com um design moderno e tem a tela inicial adaptável para dispositivos móveis, como tablets e celulares. O formato da página é chamada de one-page, tendência nos principais hotsites e portais do mundo hoje, que consiste em concentrar as informações em uma única página, dando mais agilidade ao visitante.
 
O aplicativo segue o padrão do site e vai possibilitar ao usuário uma experiência mais rápida na hora de se programar para ir à festa. Ele pode ser baixado pelo site: http://bit.ly/appfanfest. O material foi desenvolvido pela Carratu Publicidade. 
 
O FIFA Fan Fest começa nesta quinta-feira, às 12h, na Praia do Forte e, neste primeiro dia, vai contar com shows de Marina Elali, Rosa de Pedra, Uskaravelho, além da exibição da abertura da Copa do Mundo que antecede o jogo Brasil x Croácia.
 
 

 Secretaria Municipal de Comunicação –(84) 3232.8858

Rede social propõe “aluguel de amigos” para conhecer cidades

Por: Gunther Guedes/Viver Natal

Imagem

Desbravar outra cidade, outra cultura é algo que mexe com o imaginário de muita gente. Ver o mundo a partir de outra perspectiva é algo fascinante. No entanto, muitas vezes vamos aos mesmos lugares, aos “pontos turísticos” conhecidos, divulgados massivamente e muitas vezes não descobrimos as potencialidades do destino como um nativo, morador local. Partindo desse pressuposto, o site “Rent a Local Friend” formou uma rede de pessoas que querem experimentar a cultura local de maneira espontânea. Algo parecido com nossa matéria: 10 lugares ou passeios sensacionais em Natal que são pouco divulgados.

Com cadastros do mundo inteiro, Natal é uma das cidades que oferecem “amigos” postiços. Lhasa Calassa é corretora de imóveis e tem 34 anos. Ama viajar e procura praticar o seu inglês e, por isso, resolveu se cadastrar no site. “Eu e uma amiga descobrimos através do programa Encontro com Fátima Bernardes e me cadastrei. Achei a ideia super interessante e válida. É uma nova forma de conhecer o mundo e mostrar um pouco do nosso”, disse. “Acontece em todo mundo e chegou à Natal. É uma nova forma de mostrar a vida em nossa cidade”, disse.

Imagem

Rede de viajantes

Idealizado por uma brasileira, Rent a Local Friend conta com 48 cidades de três continentes. Para participar, é necessário se inscrever no site. Os administradores avaliam as informações e dão uma senha para preencher alguns requisitos. A partir daí, é enviado um manual, explicando as regras.

O serviço é pago e tem o preço já estampado. Do valor total, 30% é cobrado pelo site. Com o restante, é combinada com o turista e o amigo a melhor forma de pagamento. “O site sugere que você não converse com o turista fora do site. Ser fluente em inglês ajuda bastante”.

Imagem

 

Jornal de Tóquio Nikkeikeizai Shimbun publica matéria sobre Natal

     O jornal de Tóquio Nikkeikeizai Shimbun publicou esta semana uma ampla reportagem sobre Natal mostrando suas atrações
turísticas com foco na cidade onde a seleção japonesa vai jogar. A matéria é assinada pelos jornalistas Masato Suzuki e Uema Koji que estiveram em Natal onde entrevistaram o secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Seturde), Fernando Bezerril.

Imagem    A Prefeitura do Natal através da Seturde proporcionou aos jornalistas um city-tour pela cidade com apoio de técnicos da secretaria e o auxílio de guias bilíngues. “A visibilidade que Natal está ganhando como uma das cidades sedes da Copa do Mundo pode ser aquilatada pela exposição que teremos na mídia nacional e internacional e já está rendendo frutos”, salientou Fernando Bezerril.  

Natal

Natal cidade do sol. É famosa por seus frutos do mar e bela costa é a atraente, especialmente delicioso camarão, comido. De acordo com o Ministério do Turismo, da cidade de Natal investido (mais de 900 milhões de iene) cerca de 20 milhões quando real W Cup realizada. Turistas, criou quatro centro de informação móvel que visa estrangeiros em particular, que vão em torno das principais atracções.

Tempo da luz do sol é longa, Natal é conhecida por cidade ensolarada. Capaz de pintar muitas vezes, protetor solar de must-haves chapéu e óculos de sol.

Primeiro de tudo, vamos alimentar a praia mais famosa da cidade, “Ponta Negra”, em (Ponta Negra) costa. Litoral estendendo lindamente sobre a 4 km, parecem formar uma baía de um. Há também as famosas dunas de areia “Morro de Karekka” e (Morro do Careca) é o extremo sul.

 

 

Mais de 800 mil fanáticos por futebol já começaram a chegar ao Brasil para embalar a Copa do Mundo

Quem são eles, como se prepararam e o que farão durante a maior competição esportiva do planeta?

Por: Mariana Brugger (marianabrugger@istoe.com.br) e Raul Montenegro (raul.montenegro@istoe.com.br)

Quando começa uma Copa do Mundo? A resposta óbvia, e correta, é no momento em que abre oficialmente a festa de abertura e, em seguida, a bola rola, com o jogo inaugural, tradicionalmente capitaneado pelo país anfitrião. Mas um Mundial de futebol se inicia bem antes disso. Quando chegam os atores da competição, as seleções e as torcidas dos países envolvidos na disputa, que colorem e transformam a atmosfera das cidades-sede com sua vibração. Ainda há poucos times no País – até a sexta-feira 6, haviam chegado oito delegações -, mas, se depender dos estrangeiros que já estão aqui e daqueles que chegam nas próximas semanas, a Copa do Brasil, que se inicia protocolarmente no dia 12 de junho, às 17h, com Brasil e Croácia, na Arena São Paulo, já está a todo vapor. “Turistas de 186 países vêm nos visitar e serão 30 bilhões de espectadores em todos os jogos, no mundo todo”, diz o ministro do Turismo Vinícius Lage. Segundo a Fifa, foram vendidos pouco mais de 2,9 milhões de ingressos, 40% deles para torcedores de fora. Levantamento recente do Ministério dos Esportes revela que serão mais de 800 mil pessoas vindas do exterior durante a competição. “Sendo que meio milhão virá pela primeira vez ao Brasil por conta da Copa do Mundo. Isso alavanca a economia nacional”, afirma o secretário-executivo do Ministério dos Esportes, Luis Fernandes. A expectativa é que gastem cerca de R$ 2,5 bilhões por aqui.

INVASAO-ESTRANGEIRO-IE.jpg
MAPA-MÚNDI
Quarta-feira 4: torcedores de nacionalidades diferentes que já
chegaram do Exterior para o Mundial se confraternizam
na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro

O fato de ser a primeira Copa realizada no continente americano no século 21 colaborou também para uma grande procura. Os sul-americanos, por exemplo, se valem da proximidade para assistir ao Mundial, da maneira que for possível. No Chile, uma caravana gigantesca foi organizada para partir de Santiago, cruzar a Cordilheira dos Andes e estacionar em Cuiabá, onde a seleção realiza sua primeira partida contra a Austrália, na sexta-feira 13. Serão entre 800 e 3200 carros dirigindo em comboio por cinco dias, percorrendo 800 quilômetros diários. “Fazemos de tudo para ver o Chile ser campeão. Somos uma torcida apaixonada e aventureira”, diz Alberto Schmidt, chefe de operações do grupo. São esperados até 70 mil chilenos no Brasil durante a competição, quatro mil vindos somente do grupo de Schmidt.

01.jpg

Igualmente apaixonada, a torcida alemã desembarcará em peso por aqui. Segundo o Consulado da Alemanha no Rio de Janeiro, são esperados, pelo menos, 20 mil alemães no país para participar do Mundial. Recente levantamento do site de pesquisas de passagens aéreas Skyscanner confirma o dado. Os alemães ocupam o terceiro lugar do ranking dos países que mais enviarão torcidas para cá, perdendo apenas para os norte-americanos e os argentinos. “A torcida alemã é a mais simpática e feliz. O torcedor grita e cria expressões para se referir aos jogadores da equipe adversária”, afirma Harald Klein, o cônsul-geral da Alemanha no Rio de Janeiro. O web-designer alemão Sami Jaafar, de 28 anos, economizou durante dois anos para ver a Copa. No dia 7 de julho, ele desembarca no Rio de Janeiro sonhando com uma final entre o Brasil e a Alemanha. Sami não comprou ingresso para ir ao Maracanã, porque achou o preço “um absurdo”. Mas também porque prefere sentir o clima das ruas. Ele pretende quer assistir aos jogos em telões ao ar livre, de preferência, na Praia de Copacabana, tomando caipirinha e vendo mulheres bonitas. Ele não teme nem os protestos, nem a criminalidade: “Em 2006, a mídia internacional também disse que a Copa na Alemanha seria perigosa por causa dos hoolligans e dos neo-nazistas. Mas o clima não poderia ter sido melhor”. Sami vai viajar com um amigo – o único que não se assustou com os preços. Os dois vão ficar hospedados em Copacabana, a cinco minutos da praia, num apartamento alugado através de uma agência de viagens berlinense.

02.jpg

Com pouca tradição futebolística, os americanos surpreenderam já na compra de ingressos. Foram 196.838 entradas vendidas para eles, segundo a Fifa, perdendo apenas para o Brasil. “Estou certa de que vocês verão milhares de americanos se produzindo com todos os tipos de fantasias e roupas típicas”, afirma Liliana Ayalde, a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil. A esperança dela se confirma no grupo de Kimberly Kallansrude, 20 anos. Ela e outros quinze amigos vieram ao país para fazer um intercâmbio e resolveram esticar a estadia para aproveitar a Copa do Mundo. Para fugir dos preços altos, se hospedaram no Albergue Bonita, em Ipanema, zona sul do Rio. “Vamos assistir só ao início da Copa, mas estamos muito empolgados.” Conhecida por sua neutralidade em assuntos políticos, a Suíça terá 6 mil torcedores por aqui. “A torcida suíça é um pouco como o time, cheia de potencial, mas nem sempre ciente das suas capacidades. É como uma pessoa tímida, que só se revela de verdade quando está à vontade”, diz o suíço Claudio Baumann, que mora no País há dois anos e já recepciona vinte conterrâneos para o Mundial. A gelada Rússia também fará parte da festa. Com QG da torcida montado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o torcedor que não conseguir entrar no Maracanã no domingo 22 para assistir a partida contra a Bélgica não ficará sem lugar para brindar. O russo Euan Kay, 24 anos, ainda tem esperança em conseguir sua entrada. “Eu não poderia perder uma Copa no Brasil. A melhor parte do futebol é que ele une as diferenças entre os povos.”

03.jpg

Essa pluralidade é apontada justamente como a chave do sucesso do Mundial. “O Mundial é aquele momento em que fingimos assistir a um duelo de nações, que será resolvido no campo esportivo”, afirma o sociólogo Ronaldo Helal, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Diferenças à parte, o historiador e pesquisador André Couto aponta algumas semelhanças entre os grupos de torcedores. “Os latinos costumam ser mais apaixonados, festivos e coloridos. Os ingleses são eufóricos, apesar de causar preocupação com a violência dos hooligans. Os portugueses são frios, mas pode ser que o bom momento do Cristiano Ronaldo mude essa percepção. E a Holanda costuma ter as mulheres mais bonitas.”

04.jpg

Rahima Ayla Dirkse, 20 anos, é uma ilustre representante da beleza holandesa. Há quatro anos, enquanto Wesley Sneijder marcava o segundo gol da vitória da Holanda contra o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul, seu avião pousava em Salvador. Foi só colocar o pé fora do aeroporto Luís Eduardo Magalhães para perceber uma cidade calada. Foi nesse momento que ela se deu conta: o País do futebol tinha sido eliminado justamente pela sua seleção. “Era um baixo astral, todo mundo chorando. Futebol não tem essa mesma força onde eu moro”, diz. Ela queria ver a festa na cidade – um dos principais motivos de sua segunda visita ao Brasil. “Foi naquele dia que decidi que voltaria para a Copa do Brasil”, afirma a estudante de Farmácia, de 20 anos, que hoje mora em Groningen, cidade universitária localizada ao norte da Holanda. Dito e feito. Rahima convenceu seus pais e os três voltam a Salvador. A família Dirkse vai desembarcar mais uma vez na Bahia, estado onde seu país faz o primeiro jogo, contra a Espanha, na sexta-feira 13. O trio, que só chega ao Brasil no dia 5 de julho e ainda não possui ingressos, tem esperanças de ver os jogos do time laranja nas fases eliminatórias.

05.jpg

Uma coisa é certa: os holandeses esperam transformar o Brasil em uma grande nação laranja. Em São Paulo, eles preparam uma grande caravana para o jogo do dia 23, contra o Chile. Cerca de 500 holandeses que estão acampados num clube na zona sul paulistana acompanharão, a partir das 8h, a “Oranje March” – percurso tradicionalmente feito por um ônibus laranja de dois andares cercado por uma multidão que segue a seleção do País durante os campeonatos internacionais. Na primeira parte do trajeto, caminharão ao lado do veículo do local onde estão as barracas até o metrô mais próximo. Do fim da linha até o estádio, voltarão a se juntar ao coletivo até um terreno perto da Arena São Paulo, onde festejarão até o início do jogo, às 13h. “No resto do ano somos normais, mas durante os jogos viramos loucos. Vestimos roupas cor de laranja e fazemos maluquices ao som dos nossos gritos de guerra”, diz a acampante holandesa Dorinda Hovenga.
Com o Papa Francisco ao seu favor, e o melhor ataque da competição – Messi, Di Maria, Aguero e Higuaín -, a passional argentina está confiante. Na base do GPS, uns poucos contatos e alguma sede de aventura, um trio de jovens portenhos sairá de Buenos Aires de carro nesta semana e chegará antes de a bola começar a rolar.”Vamos parando em casas de amigos e hostels. Levamos até barraca para acampar”, diz o programador David Sadrinas. Os três amigos têm certeza de que essa é a Copa deles. “A próxima é na Rússia, a seguinte no Catar, tudo muito longe”, afirma o analista de crédito Santiago Pascale. Eles mostram, satisfeitos, os ingressos adquiridos em sites como eBay e Mercado Livre. Apesar de a revenda ser proibida, não se intimidaram em gastar até US$ 500 dólares em cada entrada. Sonhar é grátis, mas, ir à Copa, definitivamente não. “Estourei todos os cartões de crédito. Para voltar, a cada parada pedirei um depósito na conta aos pais”, diz o analista Francisco Mora.

06.jpg

Se há torcedores que viajam na base do improviso, outros são extremamente meticulosos. Como o inglês James Connaughton, de 25 anos, que começou a guardar dinheiro e fazer os planos para a viagem em 2007, quando soube que o Brasil receberia a Copa de 2014. Mesmo sem saber se a Inglaterra se classificaria, ele estava decidido a realizar um sonho de infância e assistir ao maior torneio do mundo no país que, para ele, é “a casa do futebol”. Pela internet, James estudou as 12 cidades-sede em busca de uma base onde pudesse conciliar os jogos com praias e baladas. Acabou se decidindo por Natal, onde deve passar duas semanas em uma pousada, na companhia de outros cinco amigos. “Vi que Natal é uma cidade pequena, menos caótica, mais segura e com mais chances de ter sol e calor nesta época do ano”, diz, já imaginando os roteiros que programou para os dias sem futebol: passeios de buggy pelas dunas de Genipabu e uma esticada à Praia da Pipa.Na última semana da viagem, passa por Recife e termina no Rio, onde se, tudo sair como o esperado, poderá ver sua Inglaterra disputar uma oitava-de-final em pleno Maracanã. Para aproveitar ao máximo a experiência, matriculou-se num curso particular intensivo de português. A Football Association (FA) e a Federação dos Torcedores de Futebol britânica estimam que cerca de 10 mil ingleses devem viajar ao Brasil. As casas de câmbio britânicas mostram isso – aumentou em 1000% a demanda pela moeda brasileira em Londres. Outro hóspede europeu de Natal é o italiano Davide Bizzoto, 39 anos, que terminou com a namorada, que viria com ele, mas não desistiu do sonho de acompanhar sua seleção no Brasil. “Essa será a melhor copa de todos os tempos”, diz ele, que ficará na Praia do Pipa.

07.jpg

Na terra dos atuais campeões mundiais, a crise econômica e taxas de desemprego na casa dos 25%, estão fazendo o sonho de ver ao vivo o bicampeonato ser cancelado pela grande maioria dos torcedores espanhóis. A dificuldade até virou mote para o comercial de um dos patrocinadores, que pediu aos espanhois para cortar e enviar ao time “seus corações”, os escudos de suas camisas da seleção. O caro souvenir foi costurado e transformado em uma bandeira que acompanhará os jogadores pelo Brasil. Para alguns poucos, no entanto, as passagens e entradas nos estádios estão garantidos e o uniforme pode continuar intacto. É o caso do jornalista Ángel Rubiano, 29 anos. “Estrear na Copa vendo a seleção jogando no Maracanã é sensacional!”, diz ele, que terá como base a cidade do Rio de Janeiro. Apesar de saber que não vai ser fácil para a Espanha, ele se diz otimista. “Esse time nos deu duas Eurocopas e a última Copa. Não tem como estar pessimista com eles.” Nem todos os espanhóis, no entanto, estão tão esperançosos. “Somos um dos favoritos, mas ganhar vai ser muito difícil porque estamos um pouco abaixo do que éramos em 2010”, diz Miguel Riera Menendez, que chegou sozinho ao Brasil para acompanhar os jogos de seu time no Rio e em Curitiba e ficará hospedado em casas de amigos e em hotéis. O argelino Mohamed Kellala também veio sozinho, apesar de uma caravana do seu País estar trazendo 2,1 mil compatriotas, segundo a embaixada. Além de acompanhar todos os jogos da Argélia na primeira fase, Kellala pretende conhecer outras atrações brasileiras, como as obras do arquiteto Oscar Niemeyer. Primeiro o esporte, depois o turismo. Afinal, nada mais divertido para esses torcedores do que uma partida de futebol. Durante uma Copa. E no Brasil.

 

Hemonorte lança campanha de doação de sangue para Copa e período junino

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Hemonorte, lança nesta segunda-feira (9), uma campanha para incentivar a doação voluntária de sangue e manter em equilíbrio o estoque para atender a demanda da Copa e período junino.

A Campanha será realizada em todas as unidades da hemorrede, Natal, Mossoró, Pau dos Ferros, Caicó e Currais Novos e prossegue até o dia 21 de junho. O Hemocentro espera aumentar em 30% as doações espontâneas em toda rede estadual.

CRITÉRIOS PARA DOAÇÃO DE SANGUE:

·         Ter entre 16 e 68 anos

·         Ser saudável

·         Pesar acima de 50kg

·         Repouso mínimo de 6 horas na noite anterior

·         Evitar alimentos gordurosos antes da doação

·         Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores

·         Apresentar um documento oficial com foto.

LOCAIS DE DOAÇÃO:

NATAL:

·         Sede da instituição (Av. Alexandrino de Alencar, 1800, Tirol, próximo ao Parque das Dunas/Bosque dos Namorados) – de segunda a sábado, das 07h às 18h;

·         Posto Fixo de Coleta da Zona Norte (Complexo Cultural) – segunda a sábado, das 8h às 17h;

·         Unidade Móvel. O doador deve consultar o site http://www.hemonorte.rn.gov.br/ siga o roteiro,   para confirmar sua localização ( Unidade itinerante).

MOSSORÓ:

·         Endereço: Rua Projetada, s/n. Bairro Aeroporto –  segunda a sábado – das 07h às 18h.

CAICÓ:

·         Endereço: Rua Renato Dantas, 455. Centro –  segunda à sábado, das 07h às 18h.

CURRAIS NOVOS:

·         Endereço: Rua Carnaúbas dos Dantas , 150. Bairro JK –  segunda à sábado, das 07h às 18h

PAU DOS FERROS:

·         Endereço: BR 405 – km 03, nº. 19 – Bairro Arizona.-  segunda à sábado, das 07h às 18h